sexta-feira, 27 de abril de 2007

A conspiração interna

Ao sul do lago da Galiléia, ao norte da cidade de Gilead, no deserto de Siloe, Eleaser luta por sua liberdade e por sua alma. Johannes, Zadoque e Zacharias tentam segurá-lo, amarrá-lo e vendá-lo. Eles estão decididos a levá-lo a Petras, uma sinagoga encravada na pedra para que os rabinos dos círculos esotéricos pudessem se encontrar com os sacerdotes dos antigos ritos.
O destino era longe, 15 dias de viagem, mas o tempo e o local tinham uma razão estratégica. Eles sabiam que naquele lugar, em exatas duas semanas, seria realizado o Sabath do Solstício de Verão, com a presença da cúpula do Sinédrio, da Ordem de Melquisedeck e da Ordem de Hórus. Eles sabiam que, como a Ordem de Melquisedeck operava em Judá, a Ordem de Hórus operava no Egito ocultamente, nos meandros da máquina do estado, entre príncipes e nobres que habilmente manipulavam o fraco faraó Akenat II, mas isto fica para outro capítulo. O trio estava decidido a fazer com que Eleaser subisse mais um degrau, conhecesse um grau mais reservado da Ordem de Melquisedeck, isto era um recurso arriscado, extremo e violento, mas Eleaser era provavelmente o único Inspetor que ainda seguia o doutrinamento fajuto da Batalha Espiritual, ele precisava saber qual era a verdadeira missão dos Inspetores e o objetivo da Ordem.
- Em nome do Deus de Abraão, Isaac e Jacob, me soltem!
- Mas é por Deus que queremos que tu conheças o credo de Abraão, Isaac e Jacob.
- Correto. Johannes, declame a Shema Israel.
- Ouvi, oh Israel, que o Senhor é Deus.
- Zacharias, qual o segredo na declamação?
- Aquele que saiu do meio do povo comum e quer seguir no caminho espiritual deve responder: e Shekinah é a Soberania e o Trono.
- Blasfêmia! Sacrilégio! Vós estais dominados por Satanás.
- Johannes, quem é Satan?
- O Anjo criado por Deus para nos testar, nos provar.
- Mentira! Mentira!
- Então leia na Torah, meu caro, bem aqui em Isaías, 45,7.
- Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o Senhor, faço todas estas coisas.
- Nós fazemos com que o Bem e o Mal se manifestem neste mundo. Isto é livre-arbítrio. Deus nos criou com a habilidade de escolher e ter consciência das conseqüências destas escolhas.
- Quem não tem responsabilidade viverá sempre preso em um complexo de culpa e com medo permanente das tentações.
- Não há santidade na virtude quando, por medo, se deixa de se agir como se deve.
- Sofismas! Falácias!
- Existe um código secreto, uma chave, entregue somente aos Iniciados dos círculos esotéricos da ordem, essa é a técnica da Cabala.
- Infâmia! Profanação!
- Todos os rabinos, os Altos Sacerdotes e os Digníssimos Anciãos. Todos, sem exceção. Aprenderam as chaves secretas nos círculos esotéricos, na Pérsia, com os Altos sacerdotes de Ormuz, que conviviam com os Altos Sacerdotes dos Cultos Antigos.
- Nós ainda éramos pastores de ovelhas e os Altos Sacerdotes dos Cultos Antigos, que existiram bem antes de Abraão, receberam uma mensagem perturbadora dos Deuses Antigos.
- Mentira! Invenção! Só o Senhor é Deus!
- A mensagem é que os segredos e mistérios não existiam mais, todos tinham acesso aos Deuses Antigos. Seres astrais e humanos conviviam como iguais e as celebrações não aconteciam mais.
- Era necessário fazer as pessoas acreditarem que havia uma separação. Assim, aos poucos, a magia foi confiada a poucos escolhidos. Lentamente, os sentidos humanos se tornaram grosseiros demais para perceber o mundo astral.
- Assim começaram a aparecer os sacerdotes, o assombro e a reverencia retornaram, os Deuses eram novamente adorados em cerimônias.
- Alguns Deuses entraram em conflito, alguns sumiram e outros foram banidos. Os que permaneceram estabeleceram regras para cada mundo.
- Mas nasceram novos Deuses, que não conheciam a humanidade nem a convenção entre os Deuses Antigos. Estes Deuses ansiavam por autoridade e poder. Eles se infiltraram entre os Deuses Antigos para usar as regras em seu favor.
- Eles perceberam que a ilusão da separação lhes dava margem para agir entre os humanos e com isso conquistar a atenção e a adoração deles.
- Nunca te chamaste a atenção que o primeiro mandamento do Deus Vivo seja "não adorarás a outros Deuses"?
- O Senhor em Sua Infinita Sabedoria assim o fez para proibir a idolatria infame e abominável.
- Por que as pessoas perderiam tempo e material precioso se não para dar forma ao que remotamente lembravam ser a aparência dos Deuses?
- Se não nos fosse permitido fazer imagens ou símbolos das coisas santas nenhum de nós poderia ostentar a marca de Inspetores que tanto nos orgulha.
- Basta. Ele ouviu mais do que merece. Vamos levá-lo a Petra para que ele veja com os olhos e sinta com a pele o que sabemos.

Nenhum comentário: