sexta-feira, 27 de abril de 2007

A conspiração messiânica

Em uma casa pequena, discreta e distante de ruas movimentadas, bateram na porta e o servo egípcio abre uma portinhola.
- Queremos falar com Anás.
- A quem devo anunciar?
- Aos Inspetores Zacharias e Eleaser.
- Por favor, aguardem.
Eleaser esfrega as mãos. Logo ele, controlado e metódico, nervoso como um estudante novato. A porta é pequena e frágil, duas pessoas poderiam derrubá-la. Eleaser sabe que as aparências enganam. Esta é a casa de um dos anciãos, daquele que será o responsável pela moralização no Sinédrio. A fragilidade é sempre a melhor armadilha, lembra ele de seus estudos. Tantas noites sem dormir para logo agora ficar tão ansioso.
- O Mestre Anás os irá receber.
A porta abre-se para um pequeno mas bem cuidado jardim cercando a fonte de água para a limpeza do corpo e para saciar a sede. Passando por uma entrada, Zacharias e Eleaser chegam ao vestíbulo central, onde os visitantes podem deixar suas capas, odres, sandálias e bagagens. De dentro do salão principal, Anás os chama.
- Entrem, entrem. Não recebo muitas visitas, mas sendo recomendado pelo jovem e promissor Zacharias é porque tu tens uma grande pureza.
- Mestre Anás, é um prazer conhece-lo. Eu, pobre que sou, de puro nada tenho, mas sirvo com competência e o que tenho a relatar é grave.
Anás fica surpreso com este homem, jovem para os padrões dos Inspetores, mas certamente com uma vivida chama de devoção. A face carregada daquele homem mostra que não se trata de uma brincadeira. Zacharias olha ao seu Tutor com olhos carregados, confirmando.
- Ora, ora, vamos! Nada ocorre sem que seja do conhecimento de Deus. Mas diga, desde o começo, quem é tu e o que te trouxe aqui.
- Pois bem, Mestre. Eu sou Eleaser, Inspetor de Jerusalém. Eu estava em uma missão em Elom para acabar com o culto das rameiras, minha missão estava sendo bem sucedida, entretanto escapou-me a última meretriz e esta trapaceou, deixando duas de suas aprendizes ocultas do Juízo Santo. Eu, consternado com minha falha e impureza por um ato inominável daquela mulher, fui até a central da Ordem em Jerusalém, mas lá ninguém vi. O único ser vivo que lá estava, certamente conturbado por espíritos malignos, ceifou sua vida. Eu esperei algum superior aparecer, quando veio um Magistrado, que não quis me ouvir mas disse barbaridades sobre nossa pia Ordem. Não tive outra alternativa senão a me misturar entre ladroes e assassinos numa caravana para chegar aqui e receber de tua sagrada pessoa uma orientação e pedir-te providências ao descaso que encontrei em Jerusalém.
- Muito bem. Eleaser, correto? Nada de nomes. Entre nós temos um sinal e uma senha para nos conhecer, isto basta. Agora, quanto a Jerusalém, creio que Zacharias tenha te dito dos Planos de Deus para a Casa de Sião.
- Eu ouvi meu irmão Tav 47 conferenciar-me algo sobre o senhor estar introduzindo uma reforma no Sinédrio por meio de teu genro, Caifás.
- Conhecendo o jovem Zacharias como eu o conheço, ele deve ter te dito um pouco mais.
- Mestre! Meu conhecimento é pequeno! Aquilo que eu e meu irmão Tav 33 sabemos é um segredo que corre entre todos os Inspetores, desde a fundação da Ordem!
- Então, não é segredo! Não fiquem tão conturbados. Esta é uma piada de um velho rabino, nada mais. O que não é brincadeira é o momento em que vivemos. Sabe que momento é este?
- O Mester Daniel, abençoado seja seu nome, disse claramente que restava ao Povo de Israel setenta semanas para a vinda do Messias, o Julgamento e a volta do Reino de Judá.
- Exatamente. Mas não são setenta semanas comuns. Estas semanas tem uma contagem especial. Uma vez a cada sete anos há a semana do Jubileu e é esta semana especial que é comemorado o Ano Sabático. Mas o que ou quem é o Messias?
- Este conhecimento me escapa, Mestre. Alguns dizem que é um anjo enviado por Deus, outros, que será como o Filho de Deus, que será como Deus encarnado neste mundo.
- Percebem, meus meninos, como a heresia se infiltra até entre uma Ordem tão antiga e poderosa quanto a nossa? Existem facções, dissidências, grupos dentro de grupos, cada um com uma parte da Verdade, mas querendo que a sua parte domine as santas doutrinas de nossa Ordem. Para que possam cumprir com suas tarefas corretamente, eu lhes direi quem é o Messias que, na verdade, são dois!
- Dois? Mas...isso é impossível!
- Paciência, meu garoto, paciência. Desde Abraão, nosso mui pio fundador este dia é esperado, o profeta Daniel apenas marcou sua contagem. Desde o tempo de Moisés, nosso libertador, há duas linhagens sagradas entre o Povo de Israel. Uma é a linhagem de Davi, a outra de Levi. Para que aconteça o Advento, é necessário que venham a ser ungidos, portanto serem chamados de Messias, dois valentes especialmente separados por Deus.
- Entendi! Teu genro Caifás será um dos Messias e a Ordem está preparando um descendente da linhagem de Davi.
- Não, meu jovem, não será Caifás e nós não estamos preparando um, mas vários valentes da linhagem de Levi e de Davi para assumirem nas diversas regiões da Judéia o seu lugar sagrado como lideres para o levante total do Povo de Israel contra o exército de Satan. Derrubaremos seu vicário, César, acabaremos com o Reinado da Babilônia e assumiremos nosso lugar como regentes deste mundo, como é a profecia de Deus.
- Então, o que devo fazer, Mestre?
- Ouça a voz de tua devoção. Confia e faz teu serviço. No momento certo, terá as duas pequenas invocadoras dos demônios em suas mãos. As coisas que ouviste do Magistrado foram registradas e serão averiguadas. Eu quero que vá para Galiléia e procure Zadoque. Ele te apresentará ao indicado para Messias em tua região. Vá, veja, ouça e aprenda.

Nenhum comentário: