quarta-feira, 1 de agosto de 2007

Disputas pelo poder

O plano da sacerdotisa Magdala ao induzir o ingênuo Yheshua a encaminhar Saulo até Ananias escondia o desejo intimo dela de fazer a Antiga Religião sobreviver dentro do novo culto de forma velada e com isso garantir sua autoridade como sacerdotisa, dentro da estrutura sacerdotal.
Ananias era um dos poucos sobreviventes dos Nazirenos que fizera parte dos círculos internos da então extinta Ordem de Melquisedeck e certamente foi iniciado nos Mistérios Antigos por alguma sacerdotisa, de forma que ele, mais que qualquer outro, a ajudaria a ensinar e treinar Saulo dentro do culto dos Crestanos que mistura o messianismo judaico com o gnosticismo grego e com os Ritos Ancestrais.
A sacerdotisa Magdala sabia que teria dificuldades com Yheshua, pois ele se considerava seu esposo, apenas por terem compartilhado o leito juntos. Logo o rabino descobriria que muitos o precederiam, tantos quantos fossem preciso, até que a sacerdotisa Magdala deitar-se com César e dar a ele um herdeiro.
Assim como outrora, reis sagrados foram feitos dentro dos Ritos Ancestrais, Yheshua viria a descobrir o destino final deles e a sacerdotisa Magdala não hesitará em cumprir seu oficio sagrado.
Para que ela pudesse treinar Saulo pessoalmente, ela mandou Yheshua continuar suas pregações públicas. Ananias a conhecia e a temia, o pobre Saulo foi exposto à doutrinação da sacerdotisa Magdala do que seria o culto a Yeshu Cresto. A doutrina foi tão bem recebida que ela não demorou muito a inicia-lo, mas a reação de Saulo não a agradou mesmo assim, mesmo vendo os sinais de que Saulo era misógino, ele seria sua ponte até Roma, então mandou-o peregrinar por toda a Judéia e cidades gentias para pregar a Boa Nova.
Conforme Saulo passava pelas cidades onde haviam comunidades de Crestanos, sua mensagem provocava reações, pois cada comunidade cresceu sendo formada apenas com partes da doutrina ou com rituais fragmentados.
Essas reações chamaram a atenção dos reminescentes dos grupos messiânicos. As mensagens de Saulo ajudou a despertar o desejo dos Judeus de reconstruir o Reino de Judá, fez com que esses grupos descobrisse a existência dos demais e do novo culto.
Cada líder das comunidades Crestanas, bem como dos grupos messiânicos, iniciaram uma disputa pelo poder, através de discursos, trocas de correspondências, cada uma defendendo seu próprio ponto de vista sobre temas doutrinários, opiniões muitas vezes contraditórias e irreconciliáveis.
A sacerdotisa Magdala contava com essa reação. Homens quando tomam o poder tendem a querer manipular este para seus próprios interesses, a fim de aumentar seu próprio poder e influência. Não demorou para os poucos apóstolos que seguiam a Yheshua, Yoachim ou Yeshu aparecessem para arrogarem a si o conhecimento verdadeiro da mensagem e missão do Messias. A disputa entre os grupos provocaram conflitos armados, ocasionando a interferência dos Romanos, o que ajudou a reascender a vontade de independência entre os Judeus, que estavam muito irritados com a exigência de Roma para que fossem feitos cultos a Tibério César.
Focos de rebeldes que se chamavam Zelotes apareceram, a eles juntaram-se os grupos messiânicos para iniciar uma guerra civil total contra Roma. Tibério César mandou então que suas coortes invadissem e devastassem toda a Judéia, incluindo todo e qualquer grupo ou templo que não aceitasse sua submissão a Roma e não cultuasse a César.
O Segundo Templo de Salomão foi destruído, os Judeus foram dispersos por várias regiões e nessas terras desconhecidas eles conhecerão a exclusão, a perseguição e a segregação. Tudo por que um dia o povo Judeu sonhou em reerguer o Reino de Judá até que se tornassem maiores do que o Império Romano.

Nenhum comentário: