terça-feira, 25 de setembro de 2007

A coroa e a cruz

Lapidatus e Portius chegam em Roma quase no fim do outono e admiram a cidade reerguida, mas ainda é possível ver pelos escombros o tamanho dos danos causados pelo incêndio. Sem demora, seguem até o Quartel General da Guarda Pretoriana, cuja entrada estava bastante movimentada.
Conforme se aproximavam do portão para se identificar, notaram que haviam três filas sendo organizadas. A mais curta estava destinada aos centuriões, devidamente trajados com seus uniformes e insígnias. As duas outras estavam mais tumultuadas, pois estavam cheias de pessoas em trajes civis alegando serem centuriões que brigavam com indivíduos que mal pareciam romanos.
- Ave César. Nome, posto e ordens.
- Ave César. Lapidatus Marco Nuno, XIII coorte, atendendo a convocação do Imperador.
- Ave César. Portius Laico Sexto, XI coorte, atendendo a convocação do Imperador.
O guarda confere as ordens, os uniformes e as insígnias. O portão se abre e os dois centuriões são guiados por um oficial de pátio até o edifício central, onde fica o Ministro do Exército. Dentro do prédio, cerca de cem centuriões aguardam o Imperador.
Passadas algumas horas, a comissão de senadores e cônsules entram no salão de audiência para se pronunciarem aos centuriões ali reunidos.
- Nobres defensores de Roma, nós pedimos vossa atenção. Roma passou por muitas dificuldades nos últimos oito anos, dificuldades que causaram perdas de patrimônio e vidas preciosas. Para combater e evitar tais dificuldades, vós fostes convocados para receber vossas novas missões do Imperador em pessoa. Saudemos César! Ave, Galba César!
Lapidatus ouvira falar de Galba por seu comandante, nas curtas folgas que eles passavam em Damasco. Entre os generais da Guarda Pretoriana, Galba mostrava ser o mais ambicioso. Ele certamente conhecia os meios e as pessoas certas para galgar os degraus do poder e isto certamente o levou até o topo.
- Nobres centuriões, companheiros em armas! Muitos de vós nos conhece e esteve conosco em batalha! Nós vos convocamos por que o Império deve reconhecer vosso esforço e dedicação! Vós sereis promovidos a comandantes, com direito a administrar as vilas da circunscrição. Procederemos agora com a chamada e a entrega das missões.
Um adido passa a fazer a chamada, os centuriões vão até o Imperador, recebem o edital e o cumprimento de César. Portius recebe o comando da IX coorte, na província da Germânia e Lapidatus recebe o comando da VIII coorte, na província de Belarum. A promoção é comemorada e a administração das vilas é um prêmio extra que os podem tornar rico e abrir as portas da corte romana.
- Nós contamos com vossos serviços para que a paz e a união de Roma continue. Para isso, nós determinamos que haja no Império um só credo em Deus e em seus divinos filhos Mithra, Yeshu e César. Assim como há um Império, um César, devemos ter uma só Igreja. Vós nos aclamastes César para conduzir o Império. Que seja aclamada a Suma Sacerdotisa para conduzir a Igreja!
Magdala entra e imediatamente é saudada e reverenciada. Muitos dos centuriões presentes a conheciam ou ouviram falar dela e de sua manifestação no templo de Mithra. Galba contava com esse clamor e a influência de Magdala para iniciar seu plano ambicioso de tornar o Império Romano em um Império Sagrado e eterno, o que daria a ele a memória perpétua como sendo o Santo Restaurador do Império.

Nenhum comentário: