terça-feira, 2 de outubro de 2007

Enfrentando o Destino

Magdala retorna a Roma após duas semanas de intensos debates em Bizâncio com os bispos da região oriental do Império Romano. Neste concílio, Magdala percebeu estar perdendo sua base de sustentação, os bispos que estavam intimamente ligados a ela estavam ficando velhos ou morrendo, dando lugar a bispos nomeados por suas comunidades e mais interessados nas necessidades locais.
Este é um fenômeno comum, toda instituição acaba tomando rumos que o fundador ou administrador não previa e não pode controlar.
De Roma, Magdala não pode ver a mudança que se operou entre as comunidades dos Crestanos no oriente, resistindo às epístolas vindas da Santa Sede, resistindo às interferências do Imperador.
Os bispos, com um pensamento mais provinciano, estavam resgatando algumas tradições que vieram dos movimentos messiânicos da Judéia, como a recusa da adoração a César e o sacerdócio das mulheres. Ao invés das cerimônias que lembravam os Ritos Ancestrais, uma missa com uma liturgia mais ligada ao simbolismo gnóstico.
As questões e pendências foram diminuídas, mas não resolvidas. A nova Igreja, assim como Roma reconstruída, tem fome de poder e não ficará satisfeita enquanto não dominar o mundo. A fissura entre as igrejas do ocidente e do oriente aumentava pouco a pouco e Magdala sabia que isso levaria a um cisma, a guerras, ao sucesso e ao fracasso dos Crestanos, quando então a humanidade ficará cansada de tanto sofrimento e opressão e redescobrirá a Religião Antiga.
Enquanto Magdala se entretém com sonhos se neste futuro ela será lembrada e se nesta geração ela terá seu trabalho reconhecido, o condutor da caravana a alerta da aproximação de uma coorte.
- Saudações, Vossa Santidade. Eu sou o centurião Anquilum da II legião da VI coorte para vos escoltar em vossa volta a Roma.
Magdala sabe que o centurião mente, a missão dele é o de providenciar um acidente que a mate. Potencialmente, muitos nobres de Roma ou bispos adversários podem ter contratado o serviço deste centurião, mas o maior interessado é Galba. Magdala faz uma insinuação ao centurião para garantir a ela mais alguns meses.
- Nós agradecemos a preocupação do Imperador conosco, mas não necessitamos de proteção. Ninguém ousaria nos atacar sabendo que carregamos a semente do Imperador.
O centurião fica pálido, retém a marcha e cochicha algo no ouvido de um legionário que, em seguida, sai em disparada. Com certeza, foi avisar ao mandante sobre a condição dela. O centurião volta a se aproximar da liteira de Magdala, com olhos perturbados.
- Vossa Santidade, vós sabeis que temos que cumprir nossas ordens e o nosso Imperador nos puniria se descuidássemos de vós e de vosso santo herdeiro.
Magdala pode transcorrer sossegada até Roma, onde foi recebida com festas e honrarias. Como boa conhecedora dos protocolos da corte, somente por indicar estar grávida de César garante a ela alguns privilégios, mas ao mesmo tempo jogava um escândalo dentro de sua Igreja. Enquanto Galba estiver no poder, ela estará no rol das amantes dele e seu futuro filho no rol dos possíveis sucessores muito embora ela saiba que isso possa reverter.
Apesar de toda a aparência, Roma não é assim tão diferente das cidades ditas bárbaras. A única diferença são os adereços e a crença cega de que essa fachada é real, lhe concedendo a aura de ser uma civilização evoluída e superior.

Nenhum comentário: